24 Maio de 2017
Hoje - Nublado
MIN 21º - MAX 26º
Webmail

Notícia no detalhe

Campos na rota do desenvolvimento sustentável

Campos completa 176 anos de elevação à categoria de cidade nesta segunda-feira (28), com muitos motivos para comemorar. A cidade, que foi a primeira da América Latina a ter luz elétrica, produz mais de 80% do petróleo do país e está em pleno desenvolvimento sustentável, com a instalação de grandes empreendimentos, gerando milhares de empregos. Várias obras concluídas e outras em andamento marcam a história do município, como a nova Rodoviária Roberto Silveira, a nova Beira-Valão e a restauração do Solar Visconde de Araruama, onde será instalado o Museu de Campos.
   
Várias empresas estão se instalando em Campos, atraídas pelo incentivo fiscal da Lei Rosinha, que reduz o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 18% para 2%, e pelos financiamentos do Fundo de Desenvolvimento de Campos (Fundecam), que foi reestruturado pela Prefeita Rosinha  Garotinho, entre elas, a Fábrica de Refrigerantes Coroa e a Morumbi Implementos Rodoviários, que está expandindo sua unidade, com a proposta de triplicar a produção. Campos, o maior município em extensão territorial do interior do Estado do Rio, tem 463.545 habitantes, segundo o IBGE.
   
Saúde - Hoje, o programa de imunização de Campos é referencia nacional, segundo o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que participou do lançamento da vacina contra a Hepatite A, feito pela Prefeita Rosinha Garotinho, no sábado (26), no Centro de Saúde Guarus. A cidade é a primeira do país a aplicar a vacina Prevenar nos postos municipais, contribuindo para reduzir o índice de mortalidade. Campos é  também uma das primeiras cidades do país a oferecer gratuitamente a vacina contra o HPV, que imuniza meninas de 11 a 15 anos contra o câncer do colo de útero.
   
Histórico - Por sua arquitetura eclética, Campos é considerada um museu a céu aberto, ficando atrás apenas da cidade do Rio de Janeiro. Campos possui o segundo maior canal do mundo: o Canal Campos-Macaé, ficando atrás apenas do Canal de Suez. O Imperador Dom Pedro II veio a Campos duas vezes, pelo Canal Campos-Macaé, que era navegável e ficou hospedado no Solar Visconde de Araruama. Entre os prédios históricos estão o Liceu de Humanidades, o Solar do Colégio, atual Arquivo Público Municipal, e o antigo Fórum Nilo Peçanha, atual Câmara Municipal.
    
O patrimônio cultural também se destaca (as danças típicas como o jongo e a Mana Chica;  os bois pintadinhos, as festas tradicionais, as bandas centenárias) , além da fabricação de dois doces tradicionais: o chuvisco e a goiabada. Campos foi elevada à categoria de cidade em 1835. A cidade possuiu grandes engenhos e senzalas e a tradição da cana-de-açúcar.
   
Política - O campista Nilo Peçanha foi Presidente da República. Outros campistas se destacaram  como governadores do Estado do Rio, entre eles, Togo de Barros, Celso Peçanha, Teotônio Ferreira de Araújo Filho, Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho.

Por: Francisca de Assis - Foto: Divulgação Instituto Historiar - 28/03/2011 15:46:00