23 Junho de 2017
Hoje - Instável
MIN 19º - MAX 27º
Webmail

Notícia no detalhe

Educação cria Escola de Prática Artística para estudantes da rede

Estudantes da rede municipal de ensino agora terão oportunidade de desenvolver suas habilidades nas áreas das artes cênicas, visuais e musicais. O departamento de Animação Cultural da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esportes (Smece) desenvolveu o projeto “Epa!”, Escola de Prática Artística, uma parceria com a Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL).

O curso funcionará como um pré-técnico em artes, com o ensino de prática e teoria de cada vertente artística. O projeto tem o objetivo de capacitar os alunos profissionalmente, preparando para apresentações culturais e atuações em programas artísticos municipais.

O “Epa!” terá três anos de duração e será dividido nos módulos: teatro, dança, música e artes visuais. Inicialmente, serão contemplados 80 alunos, de 7 a 16 anos. Os estudantes serão pré-selecionados nas escolas, a partir do próximo dia 10 de julho, para uma audição no Teatro de Bolso Procópio Ferreira. Os aprovados nesta etapa começarão as aulas em 14 de agosto. O curso será oferecido no próprio teatro, em dois turnos.

Segundo Manuela Félix, diretora de Animação Cultural da Smece, este é um projeto piloto. A ideia é ampliar e criar cursos técnicos de artes para os alunos da rede. “Este projeto é um avanço na formação técnica artística dos nossos alunos, que terão a oportunidade de revelar e lapidar os talentos que possuem. As aulas darão a eles ferramentas para desenvolverem suas vocações e, quem sabe, até seguirem profissionalmente na área”, acredita.

Todos os professores do projeto já são servidores da Smece e possuem especialização em artes. Para Luana Dias, coordenadora do projeto e animadora cultural do município há 20 anos, conseguir tornar o “Epa!” realidade é uma vitória para os alunos e profissionais da área.

— Criamos o projeto em 2015, mas não houve incentivo. Para nós, profissionais da animação cultural e instrutores de artes e ofícios, é uma forma de valorização do nosso esforço em nos especializarmos. Poderemos colocar em prática tudo aquilo que pesquisamos e estudamos. Já os alunos, além de despertarem artisticamente, terão a oportunidade de desenvolver o pensamento crítico e criativo através da base recebida — analisa Luana.

Por: Renata Lourenço - Foto: Supcom - 19/06/2017 09:29:04