20 Dezembro de 2014
Hoje - Variação de Nebulosidade
MIN 24º - MAX 34º
Facebook

Notícia no detalhe

População com medo da perda dos royalties

“ Meu maior medo é perder o emprego. Temos que lutar pelos royalties, porque hoje temos comida na mesa, mas  amanhã podemos não ter”.  Foi com essa preocupação e espírito de luta que a gari, Marileia da Silva, se juntou a outros trabalhadores que, assim como ela, tem medo do que possa acontecer com os municípios e a população com a nova partilha dos royalties do petróleo.

Cícero Pereira da Silva também é gari e, aos 41 anos, saiu do Rio de Janeiro para tentar uma oportunidade em Campos. Hoje empregado, acredita que sem os royalties tudo ficará ruim. “Tenho um filho e tenho medo que a saúde perca os investimentos”, acrescentou.

Enquanto muitos estavam participando dessa luta desde 2009, havia um grupo de alunos a maioria com apenas 12 anos que participava do ato pela primeira vez. Paloma Rangel e Riane Morais são alunas do Colégio 29 de Maio e junto com elas, outros alunos ergueram placas com a capa da Constituição. Todos demonstraram preocupação com a perda dos royalties e acreditam que lutar pelos direitos vale à pena.

Conscientes da importância da mobilização e do trabalho que a Fundação Municipal da Infância e Juventude  realiza, vários profissionais  e muitos alunos levaram faixas em sinal de protesto.  “A Fundação faz um trabalho com crianças e adolescentes muito importante. A perda desses recursos pode gerar muitos danos. Temos cursos profissionalizantes que garantem o adolescente a entrar no mercado de trabalho, isso pode acabar”, informou Patrícia Araujo, diretora sócio-pedagógica da FMIJ.

Silvana Ferreira levou para o protesto a bandeira do Brasil e, para ela, sem os royalties muita coisa muda. “Tudo que a prefeitura está fazendo e que ainda poderá fazer não tem como continuar. Empregos podem ser cortados”, afirmou.

Benedito Fernandes  é  Arte Educador e encontrou na arte uma forma de protesto. “Encontrei na caracterização uma forma de mostrar a minha indignação pelo que estão querendo fazer com os municípios produtores. Tenho medo de que não haja justiça”, disse.



Por: Luciana Fonseca - Foto: Luciana Fonseca - 15/03/2013 21:02:00